fbpx
728 x 90
728 x 90

Andragogia no currículo do educador

Andragogia no currículo do educador

Neste artigo faremos uma breve reflexão sobre como o conhecimento andragógico pode agregar valor no currículo do educador brasileiro.

Em muitas conversas sobre a educação de adultos, escuto de professores a seguinte pergunta: ‘Tá, entendi para o que serve a Andragogia, mas para mim, como pode agregar valor?’ Vamos falar sobre esta questão e entender de que forma a Andragogia no currículo do educador pode melhorar os resultados obtidos em sala de aula, seja no ambiente empresarial ou acadêmico.

Primeiro devemos entender que a Andragogia não é somente uma ferramenta ou um recurso que você aprende para aplicar em sala de aula, como por exemplo Sala de Aula Invertida, Tutoria entre Pares, etc. A Andragogia é uma vertente da ciência da educação, e é para os adultos, assim como a Pedagogia é para as crianças, a Hebegogia para os adolescentes, Gerontagogia para os idosos e assim por diante.

A Andragogia no currículo do educador é muito bem vista e pode se tornar um diferencial numa seleção, mas a grande diferença se dará na sua postura em sala de aula. De nada adianta ter um certificado (assim como em qualquer outra área), se você não aplicar os princípios andragógicos, não se importar com cada um dos alunos e não buscar constantemente novos métodos e ferramentas aplicáveis no cenário de formação de adultos.

Vale salientar que muitas empresas, como HSBC, Volvo, Vale, Stara, Ibape, Intelbras, Fábrica Carioca de Catalisadores, Klabin, CAGEPA, dentre outras, utilizam as práticas andragógicas para os treinamentos institucionais, sejam eles voltados para a operação, gestão, atendimento, vendas, etc. Ou seja, o andragogo não é somente útil nas universidades, como também no meio empresarial.

Como já vimos em outros artigos, a Andragogia é uma tendência na educação brasileira e deve chegar com tudo nos próximos 5 a 8 anos, como já aconteceu em países como Chile, Argentina, Alemanha, Espanha e é claro, nos Estados Unidos. Quando isso acontecer, entende-se que cada vez mais as instituições de ensino (universidades, cursos profissionalizantes e técnicos) e as empresas vão optar por pessoas que saibam ensinar os adultos.

Perceba que já está acontecendo isso, tanto que nós da Andragogia Brasil capacitamos diversos educadores em instituições como ESIC, FAE Business School, Mackenzie, ITEC, FADBA, Fafire, dentre outras. Os gestores acadêmicos perceberam que a equipe de docentes precisa ‘aprender a ensinar’ e que apenas o ‘chão de giz’ não é suficiente. Educadores que estiveram em sala de aula durante, 20, 30, 40 anos estão participando de nossas formações, compartilhando diversos saberes e experiências, assim como, adquirindo um embasamento educacional para trabalhar melhor com adultos.

Aprender sobre Andragogia não é apenas conhecer novos métodos, ferramentas e técnicas. É assumir uma postura educacional com base nos pressupostos andragógicos, de comunicar-se na horizontal com a turma, ser flexível, incentivar o compartilhamento de experiências, dentre outras atitudes que colaboram muito para o envolvimento do aprendiz adulto com o processo de ensino.

Se você quiser saber sobre treinamentos e formações em Andragogia, temos indicações para você! 😉

Cursos EAD: https://ensinodeadultos.com.br/cursos/andragogia

Cursos presenciais: contato@andragogiabrasil.com.br


– Beck, C. (2014). Andragogia no currículo do educador. Andragogia Brasil. Disponível em: https://andragogiabrasil.com.br/andragogia-no-curriculo-do-educador/

Caio Beck
ADMINISTRATOR
AUTOR

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios.

Cancel reply