728 x 90
728 x 90

Invista no seu aprendizado!

Invista no seu aprendizado!

Sempre que posso indico para as pessoas ao meu redor que invistam em seus aprendizados, afinal, novos saberes são sempre bem-vindos.

O que você aprendeu em 2017? Você teve 365 dias para aprender algo novo. Seja algo que agregasse em sua vida pessoal, profissional, acadêmica ou até mesmo social. Quantas competências você desenvolveu nesse ano que passou? Aprendeu a fazer algo que não sabia?

Já parou para pensar que só existe um você? Sugiro que pense nisso. Tudo o que se refere a você, está aí. Seus conhecimentos, suas características, suas capacidades, sua maneira de se expressar, seu ponto de vista, seus erros e acertos, enfim, tudo. Por incrível que pareça, muitas pessoas ainda não enxergaram isso, ou se o fizeram, ainda não deram o devido valor.

Você já leu o livro Realização Máxima? O autor canadense, Brian Tracy, usa um termo interessante: “Armadilha da Inteligência”. Ao utilizá-lo, Brian se refere a ação de alguém que acha que já sabe de tudo e não precisa mais aprender. Aposto que você conhece alguém assim, aquele profissional que costuma dizer ‘sempre fiz assim e deu certo’, ‘estou bem assim’, ‘nunca precisei saber sobre isso‘, etc.

Não queira ficar mentalmente para trás. É ruim, é chato! A verdade é que quanto mais a gente aprende, mais percebemos como sabemos pouco. Perceba que em um mundo como o de hoje, não aprender ou estar desatualizado, é ficar para trás. Sempre digo que estamos na ‘economia do conhecimento’, onde se destaca quem tem informação, acesso e conhecimento.

Para quem me conhece sabe que não sou recrutador de recursos humanos, mas se fosse, a primeira pergunta que faria para qualquer candidato seria: “Você tem investido em si mesmo?”. Como uma empresa pode contratar alguém, se nem ela investe em seus aprendizados? Quando falo isso, não é somente relacionado a cursos, especializações, pós-graduações, etc. Você pode facilmente ler um livro, participar de seminários e workshops, assistir canais no Youtube sobre a sua área, ler blogs e portais, ouvir um podcast, conversar com outros profissionais, participar de fóruns e debates, etc.

Não se acomode. A Maria de 2016 tem que saber menos do que a Maria de 2017. O Pedro do ano passado deve ter menos habilidades do que o Pedro desse ano. A Fernanda deve estar atualizada e o Joaquim deve mostrar que aprendeu algo novo. Tudo o que aprendemos, os conhecimentos, habilidades e competências que desenvolvemos, as informações que adquirimos, é tudo nosso! Em tese, não tem como mensurar a evolução do aprendizado, mas tá ali, é seu.

Você não precisa apenas de aprendizados técnicos. Pode desenvolver competências comportamentais, aprender coisas novas para ensinar seus filhos, trabalhar seu ponto de vista sobre algo que ainda é incerto para você, ou até mesmo, enriquecer seu vocabulário ou ‘acervo de conteúdos’ para debater em uma roda de conversa enquanto toma uma cerveja com os amigos.

Aos colegas professores, sempre dou a dica: atualize-se! Nem pense em aplicar a mesma aula, usar os mesmos exemplos, fazer as mesmas piadas. Aprenda conteúdos novos, piadas novas, cases ainda não usados. É simples, existem vários meios para isso, basta querer! Você precisa ser infinitamente curioso, um aprendiz insaciável e investir continuamente em si mesmo.

Caio Beck
ADMINISTRATOR
AUTOR

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios.

Cancel reply