fbpx
728 x 90
728 x 90

Ensino por unidades (plano Morrison)

Ensino por unidades (plano Morrison)

No artigo de hoje trataremos do ensino por unidades, conhecido também como plano Morrison ou plano de unidades didáticas.

Hoje escrevo sobre um método não tão tradicional e pouco discutido, o ensino por unidades (plano Morrison), conhecido também como plano de unidades didáticas. Nessa proposta de ensino, ocorrem 5 fases: exploração, apresentação, assimilação, organização e recitação.

Fase de exploração: Pré-teste (sondagem para iniciar os estudos de uma unidade).

Consiste no professor efetuando uma sondagem a respeito dos conhecimentos do aluno em relação ao conteúdo que será estudado. Nessa comprovação, podem ser utilizados questionários ou técnicas de perguntas. Desse modo, o professor procura informar-se sobre o que sabem seus alunos a respeito da unidade e, do mesmo modo, procura despertar o interesse da classe para o assunto a estudar, procurando uma genuína motivação.

Fase de apresentação: Ensino (apresentação e elaboração da matéria).

É nesse momento em que o aluno entra em contato com os aspectos gerais do novo conhecimento , adquirindo uma visão de conjunto e globalizada do conteúdo da unidade. Uma vez que o professor já explorou os conhecimentos prévios por parte da turma, fará uma exposição do assunto, centrando o tema no essencial e adaptando-se à realidade de seus aprendizes.

Fase de assimilação: Verificação da aprendizagem.

O professor irá verificar a aprendizagem do conteúdo apresentado na fase anterior, através do estudo dirigido, da pesquisa e da experiência. Nessa verificação, se aplicam muitas técnicas e ferramentas andragógicas como Troca de Saberes, Teste dos 3 minutos, Peer Tutoring, Roda de Conversa, etc. É importante que o professor verifique a aprendizagem individual e coletiva por parte da turma, para saber se foram assimilados os elementos fundamentais da unidade.

Fase de organização: Reorientação da aprendizagem (se for necessário).

Essa etapa se faz através de um trabalho de integração e revisão da aprendizagem, com o máximo envolvimento possível dos aprendizes. É possível elaborar um quadro sinóptico que abranja toda a unidade, segundo o conteúdo abordado. Assim que o professor verificou a aprendizagem, é preciso organizar o conteúdo de uma maneira clara e compreensível. O aluno é conduzido a resumir, em suas linhas mestras e temas principais, a unidade em estudo, ao mesmo tempo em que vai assumindo uma nova atitude frente ao assunto focado.

Fase de recitação: Nova verificação e, se os resultados forem satisfatórios, pré-teste para iniciar o estudo da nova unidade.

Assim como acontece em ferramentas como Deeper Learning e Rotação por Estações de Aprendizagem, os alunos fazem a apresentação oral sobre o conteúdo, ou parte dele, buscando compartilhar o conhecimento adquirido nas fases anteriores. O objetivo não é repetir ou recitar o que foi dito pelo professor, mas fixar o conteúdo, uma vez que o aluno adulto ao ensinar seus colegas de maneira horizontal, fixa bem melhor o conhecimento.

Morrison, um educador americano com experiências na Universidade de Chicago e em escolas de Portsmouth e New-Hampshire, partiu da suposição de que deve haver uma organização intrínseca material a ser ensinado que melhor se ajuste aos princípios da aprendizagem humana. O plano prevê três tempos para consolidar a aprendizagem: (1) estimulação; (2) assimilação; (3) reação.

Em resumo, o ensino por unidades significa:

→ estruturar o conteúdo numa totalidade coerente; promover adaptações de aprendizagens; desenvolver experiências e estudos de uma maneira que garanta a atuação do conteúdo na vida do aluno.

1ª fase: O que vocês já sabem sobre o tema?

2ª fase: Esse é o conteúdo.

3ª fase: Vocês assimilaram o que foi apresentado?

4ª fase: Vamos organizar o aprendizado, relacionando com a realidade de vocês.

5ª fase: Compartilhem com os colegas, através de suas palavras, o que foi aprendido.

O que você achou sobre o ensino por unidades (plano Morrison)? Deixe seu comentário. Saiba que temos um curso chamado Técnicas e Ferramentas Andragógicas, que trata de diversas metodologias ativas que você pode aplicar em sala de aula.

Caio Beck
ADMINISTRATOR
AUTOR

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios.

Cancel reply