SJ Financial II - шаблон joomla Форекс

wrapper

Novidades

Uma das técnicas mais eficazes que podemos utilizar no processo de aprendizagem é o ato de perguntar e/ou questionar os alunos em determinados momentos do treinamento. É uma estratégia interrogativa indispensável ao instrutor, que pode não só ser utilizada para desenvolver o conteúdo abordado, funcionando como um recurso discursivo e argumentativo, como também para interagir com o aluno, levando-o a questionar e a refletir sobre um determinado assunto.

É importante salientar que existem formas de se fazer uma pergunta e sempre que se utiliza esse recurso, o instrutor obrigatoriamente precisa abrir espaço para questionamentos e discussões durante a aula. Não faz sentido levantar uma questão, se não estiver disposto a ouvir e debater sobre o conteúdo que está propondo ser discutido.

As perguntas podem ser abertas ou fechadas, sendo que para essa segunda opção espera-se sempre uma resposta categórica, como por exemplo: sim ou não; certo ou errado; manual ou automático; alto ou baixo; etc. Quando o instrutor faz uma pergunta fechada, entende-se que se espera respostas curtas, ou perguntas quase respondidas (lacunas) para serem completadas apenas com um termo. Exemplo: Conforme vimos os tipos de Liderança, existe a Autocrática, Democrática e ...?

As perguntas abertas permitem que os alunos possam explorar melhor suas respostas e normalmente são utilizadas quando o instrutor quer explorar determinado conhecimento por parte da turma ou quando deseja que seus alunos compartilhem experiências sobre os temas abordados em sala. É possível realizar perguntas abertas em forma de Teste de Saberes, uma dinâmica com o objetivo de fazer com que os alunos criem um debate em grupo sobre um tema recém-tratado em sala.

O instrutor utiliza a técnica de perguntas para dar destaque aos conhecimentos existentes ou recém-adquiridos pelos participantes, além de manter o estado de alerta da turma. Se as perguntas são feitas no início do treinamento ou na introdução de cada tópico, é possível identificar os pré-conceitos sobre um produto, marca ou conteúdo abordado. Exemplo: Já que vamos falar sobre empreendedorismo, me deixem saber, quem aqui já criou seu próprio negócio?

Com base nas respostas dadas, se constrói o conhecimento em conjunto e o instrutor utiliza-as como parte de sua didática. Sabendo disso, é importante deixar claro para seus alunos que não existe uma ‘resposta única’ e que qualquer colaboração é essencial para o desenvolvimento do conteúdo. Alguns alunos tendem a responder exatamente o que o educador quer, sendo raros os casos em que o aluno toma uma postura diferente, portanto, evite isso.

O objetivo de uma pergunta não deve ser para punir ou constranger um aluno, portanto, caso o aluno não tenha a resposta, esteja com dúvidas ou com receio de responder, o instrutor pode incentivá-lo a responder, fornecendo alguns estímulos ou lembranças sobre o conteúdo que está sendo questionado.

A utilização da técnica de perguntas também pode ser aplicada quando queremos neutralizar uma objeção por parte do aluno. Quando um aluno afirma que não entendeu um assunto, ou quando ele discorda de um posicionamento do instrutor, é possível aplicar perguntas para que seja explorado o ponto de vista e então, melhor discutido.

Lembre-se: O instrutor não é o ‘dono da razão’, portanto caso receba uma resposta que defronte seu ponto de vista, esteja aberto a ouvir sobre ela e se necessário, colocar em forma de debate entre todos os participantes do treinamento até que se chegue em um posicionamento coletivo sobre o tema.

Last modified on Quarta, 04 Janeiro 2017
Caio Beck

Especialista em Educação de adultos.

E-mail: caiobeck@andragogiabrasil.com.br

Skype: caio.beck

Curta a nossa página!