SJ Financial II - шаблон joomla Форекс

wrapper

Novidades

Eduard Christian Lindeman (9 de maio, 1885 - 13 de abril de 1953) foi um educador americano, notável por suas contribuições pioneiras na educação de adultos. Ele introduziu muitos conceitos de educação de adultos moderna em seu livro 'The Meaning of Adult Education', viveu por algum tempo na Alemanha, onde teve papel fundamental na história da Andragogia.

Seus principais pensamentos sobre alunos adultos foram: Os adultos são motivados a aprender como eles experimentam as necessidades e os interesses de aprendizagem que irão satisfazer; A orientação dos adultos para a aprendizagem é centrada na vida; A experiência é a fonte mais rica para a aprendizagem do aprendiz adulto; Os adultos têm uma profunda necessidade de auto-direção; As diferenças individuais entre as pessoas tendem a aumentar com a idade.

Em 1926 o americano viajou para a Alemanha, onde teve contato com a educação de adultos, em especial de trabalhadores. Nessa época Eugen Rosenstock já havia aplicado os princípios andragógicos em algumas escolas alemãs e as notícias sobre o novo método se espalhava. Alexander Kapp (1833) também era alemão e abriu algumas portas para que a Andragogia (Andragogik) fosse conhecida nas escolas alemãs e quando Lindeman esteve por lá, percebeu que alguns autores já discutiam novas formas de se ensinar adultos. Além de Rosentock, Ernst Michel e Wilhelm Sturmfels também tiveram papéis importantes nesse processo.

Com o fim da Primeira Guerra Mundial, a Alemanha buscava formas de fazer com que os trabalhadores pudessem se envolver na tarefa de reconstruir a nação. Lindeman esteve envolvido com as práticas educacionais e estudos feitos pela Academia de Trabalho de Frankfurt (Frankfurt Academy of Labor). O educador americano viveu alguns anos na Alemanha e junto com a Academia acreditava que era preciso "aprender a organizar, revisar, criticar, coordenar o conhecimento, não para fins de um sistema lógico, mas a fim de que ele é incorporado como uma vida, um poder de cura. A tarefa não é equilibrar a teoria e a prática, mas transformar a teoria". 

Um dos princípios da Academia era que os professores de adultos tinham que demonstrar que eles eram "colaboradores", conscientes de que não poderiam "transmitir a educação, e sim, despertar a possibilidade de aprendizagem nos alunos. A Academia não era nem uma escola vocacional, nem uma universidade - embora fosse notado que ambas as instituições eram necessárias. Em vez disso, a função da Academia era de "educar o homem como um todo"

Na visão de Lindeman, o aprendiz adulto levava para a sala de aula, além da experiência, diversos sentimentos como 'desejo, dor, culpa, curiosidade', o que fazia com que fosse diferente de uma criança. Uma frase que costumo utilizar nos treinamentos é que "A educação de adultos cresce nos túmulos daqueles sonhos em formação que não amadureceram", algo que Lindeman escreveu em seu livro The Meaning of Adult Education.

Ficou conhecido por suas ações na educação com os trabalhadores, moda entre os intelectuais de esquerda na década de 20. Ao articular a aprendizagem de adultos como a essência da educação dos trabalhadores, Lindeman fez contribuições importantes e duradouras para o desenvolvimento genérico conceitual da educação de adultos americana. Produziu textos sobre a comunidade e organização da comunidade (1921), e sobre o trabalho com grupos (1924). Sempre foi um forte defensor do trabalho em grupo e da organização comunitária e foi uma voz significativa no estabelecimento destes dentro do discurso do trabalho social norte-americano durante a década de 1930. 

Junto com Martha Anderson, em 1927 Lindeman publicou um artigo intitulado como 'Education Through Experience' (Educação através da experiência), um dos mais impressionantes trabalhos sobre a educação de adultos. Ele também escreveu sobre pesquisa social (1933 com John Hader), educação social (1933) e vida democrática (1951).

Lindeman era amigo de John Dewey, foi influenciado por Mary Follet e quando faleceu, recebeu uma homenagem de Malcolm Knowles. Em suas publicações (as mais conhecidas são 'The Meaning of Adult Education', 'What is Adult Education?' e 'The Sociology of Adult Education') o educador americano ajudou a popularizar o termo Andragogia, criado por Alexander Kapp em 1833.

Deixo dois pensamentos de Lindeman, que fazem muito sentido na reflexão sobre a aplicação da Andragogia nas salas de aula.

“Nosso sistema acadêmico se desenvolveu numa ordem inversa: assuntos e professores são os pontos de partida, e os alunos são secundários. (...) O aluno é solicitado a se ajustar a um currículo pré-estabelecido. (...) Grande parte do aprendizado consiste na transferência passiva para o estudante da experiência e conhecimentos de outrem (...) nós aprendemos aquilo que nós fazemos. A experiência é o livro-texto vivo do adulto aprendiz.” (Linderman, 1926, p.01)

"O ensino autoritário, os exames que excluem o pensamento original, fórmulas pedagógicas rígidas - tudo isso não tem lugar na educação de adultos. "Amigos educando uns aos outros", diz Yeaxlee, e talvez Walt Whitman viu com precisão com sua fervorosa visão democrática o que o novo experimento educacional implicava quando escreveu: "aprender com os simples - ensinar os sábios". Pequenos grupos de aspirantes a adultos que desejam manter suas mentes frescas e vigorosas; Que começam a aprender confrontando situações pertinentes; Que cavam os reservatórios de sua experiência antes de recorrer a textos e fatos secundários; Que são conduzidos na discussão por professores que são também buscadores de sabedoria e não de oráculos: isto constitui o cenário para a educação de adultos, a busca moderna pelo significado da vida." (Lindeman 1926, p.07)

Last modified on Quarta, 04 Janeiro 2017
Caio Beck

Especialista em Educação de adultos.

E-mail: caiobeck@andragogiabrasil.com.br

Skype: caio.beck

Curta a nossa página!